Sobre a Gabi

With my brothers in halloween

Com meus irmãos no dia das bruxas!

Walking the 10K Bolder Boulder race

Participando numa maratona de 10 km

Meu nome é Gabi Ury. Eu nasci em 17 de abril de 1998 em Boulder, Colorado. Meu pai é americano e minha mãe é brasileira e cresceu em São Paulo. Eu tenho dois irmãos mais velhos, Chris e Thomas. Eu tenho uma cadelinha Havanes chamada Mia, que adora caminhar nas montanhas ao redor da minha casa.

Quando eu nasci, meus pais descobriram que eu tinha necessidades especiais. Eu nasci com síndrome VATER. VATER afeta minha coluna, músculos, alguns órgãos e membros. Eu tenho uma escoliose grave e me faltam alguns músculos (panturrilha, glúteos e parte dos meus abdominais). Eu passei por 14 cirurgias grandes para poder viver uma vida saudável e feliz. Minha primeira cirurgia foi aos 4 meses de idade na minha medula espinhal.

With Mia

Com a Mia

With my friend Lia

Com a minha amiga Lia

Quando eu estava na quinta série, eu fiquei muito interessada em quebrar um recorde mundial do Guinness. Eu me registrei para muitos e tentei alguns. Na sexta série, minha amiga Leah e eu tentamos quebrar o recorde da maior “Amarelinha” desenhada na minha calçada, era cheia de curvas e chegamos a uns mil quadradinhos. Outro recorde que tentei foi o do maior número de meias em um pé. Cheguei a 60 meias, mas ainda não foi suficiente.

Em agosto de 2013, eu estava no treino de volley do time da minha escola. Enquanto todos corriam por uma milha, minha treinadora pediu para eu fazer e segurar a posição de “prancha abdominal”, já que não consigo correr com facilidade. Quando todos pararam de correr eu ainda estava na posição e já tinham se passado 12 minutos! Eu fui para casa e me registrei com o Guinness para a prancha abdominal feminina mais longa.

With friends

Com amigas

With my parents and brothers

Com meus pais e irmãos

Mais ou menos seis semanas depois, eu recebi um email do Guinness me comunicando o recorde atual para a posição de prancha abdominal, formulários corretos, evidências necessárias, etc. Em novembro tive que passar por mais uma cirurgia e passei um mês e meio me recuperando. No início de janeiro comecei a treinar e já no primeiro dia consegui segurar a prancha por 20 minutos.

No dia 19 de abril de 2014, dois dias após o meu aniversário de 16 anos, eu tentei oficialmente quebrar o recorde. Eu consegui ficar na posição de prancha por uma hora, 20 minutos e 5 segundos. Eu tentei quebrar esse recorde não somente por mim, mas também para angariar fundos e trazer consciencia para o trabalho do Hospital Children’s em Denver, CO (EUA).

Entre em contato