Folha de São Paulo: Equilíbrio e Saúde

Americana Gabi Ury quebra recorde mundial de prancha abdominal

Escrito por Cláudia Collucci, de São Paulo
23 de abril de 2014
Leia o artigo original >>

A estudante americana Gabi Ury, 16, conseguiu quebrar o recorde mundial do abdominal de prancha (feminino) com tempo de uma hora, 20 minutos e 5 segundos. A prova ocorreu no sábado em Boulder, no Colorado (EUA).”

A estudante americana Gabi Ury, 16, conseguiu quebrar o recorde mundial do abdominal de prancha (feminino) com tempo de uma hora, 20 minutos e 5 segundos. A prova ocorreu no sábado em Boulder, no Colorado (EUA).

Oficialmente, o recorde mundial é de 40 minutos e 1 segundo, mas atual recordista diz que conseguiu, em uma nova prova, a marca de 1 hora, 5 minutos e 18 segundos.

Filha caçula de pai americano e mãe brasileira, Gabi nasceu com uma síndrome rara que causa falta de alguns músculos do corpo. Já fez 14 cirurgias. A maioria foi na coluna, pés e abdômen.

Gabi para a Folha de SP

A americana Gabi Ury, 16, cujo recorde pessoal é de aproximadamente 1h na posição de prancha

O recorde da Gabi ainda tem que ser certificado pelo Guinness Book of World Records. Ela vai enviar os vídeos detalhados, provas fotográficas e os depoimentos das testemunhas oficiais. Espera ter resposta em até 14 dias.

Gabi diz esperar que, com o recorde, possa inspirar pessoas a desafiarem os seus limites e procurar forças em aparentes fraquezas. Leia sua entrevista à Folha.

“A tentativa de recorde da Gabi foi repleta de desafios e emoções e foi uma verdadeira vitória do espírito e do amor”, diz a paulista Lizzane, mãe de Gabi. A família costuma passar férias no Brasil.

O pai de Gabi é o antropólogo norte americano Willian Ury, especialista em negociações de conflitos de difícil solução e um dos criadores do Programa de Negociação da Universidade Harvard.

Com o desafio, a garota também tem feito uma campanha para arrecadar recursos ao Children’s Hospital de Denver, onde tem feito os tratamentos e cirurgias.

Até o momento, já arrecadou 48 mil dólares em doações. Veja abaixo o vídeo sobre a prova:

Get in touch